Mostra de trabalhos: eles nos ensinam como trabalhar!

Temas tradicionais revisitados, temas modernos e frequentes em nossa cultura, uns e outros foram contemplados na demonstração, aberta às famílias, dos Trabalhos do F I :

Uma releitura de Chapeuzinhos Coloridos norteou o caminho dos 3ºs anos. Fazendo uso de versões confeccionadas pelas próprias crianças, as histórias se tornaram encenações cheias de criatividade e grandes interpretações. Criança dançando a chula, criança em diálogos repletos de expressões engraçadas e comuns em seu linguajar diário: um efeito de causar risos entre a plateia e aplausos em meio à cena aberta.

Que mote os 5ºs anos usaram para maravilhar a Escola? A encantadora Mitologia Grega, pela qual os alunos sempre se enamoram. Uma representação do Olimpo contou com passagens narrativas de que participaram Zeus, Pandora e sua incrível caixa, Deméter, Hades, faunos, sátiros e demais deuses,todos se envolvendo e dando conselhos a respeito de como salvar a Terra, a Mata Atlântica, a fauna e a flora. Criaram-se diálogos ricos em informações, um balé com ninfas, um coral de vozes e flautas na interpretação de uma canção de ninar grega. Depois disso, como a espécie Sapiens não sairia dali com uma sensação esperançosa?

Os 2ºs anos tomaram, para si, os biomas aquático e terrestre. Apoiados em elementos extraídos da Natureza – florestas, águas, fauna e flora – escolheram músicas dançadas e cantadas, lindamente. Entre uma e outra, leram textos contendo pesquisas sobre o mesmo assunto.

Os 4ºs anos, tal como os 2ºs, escolheram biomas, mas, desta vez, o bioma da Região Nordeste, essa terra maravilhosa onde acontece a rica Literatura de Cordel, não é fato? Os alunos juntaram os pontos e pesquisaram o tema traduzindo-o sob a forma de cordéis, apropriadamente escritos e digitados, na sala de Informática, e encapados, na aula de Artes. Resultados finais expostos, a autora da obra Luiz Gonzaga Estrela distribuiu fotos e autógrafos. Tudo isso estava muito bom e ficou ainda melhor quando, no palco, cada turma dançou duas danças regionais. Xotes e baiões tão animados que as crianças e o Teatro pegaram fogo!

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.